As dez pistas de corrida mais perigosas do mundo



Acidente na indy

O automobilismo é emocionante porque é inerentemente perigoso e, dependendo da pista, pode ficar ainda mais... emocionante. Listamos a seguir dez das pistas de corrida mais perigosas do mundo.


Baja 1000

10 – Baja 1000

Número de mortes: desconhecido.
Acidente famoso: em 2008, um piloto da equipe Malo foi sequestrado por nove dias durante a corrida. No violento tiroteio do qual resultou seu resgate, descobriu-se que seus sequestradores eram ex-policiais.

Onde está o perigo: o primeiro evento cronometrado pela península de Baja aconteceu em 1962, como forma de divulgação das motos Honda. Em 1967, foi disputado pela primeira vez como um evento competitivo, partindo de Tijuana para La Paz. Desde então, apenas ficou maior e mais perigoso. Os espectadores costumam improvisar saltos e rampas, só porque ver um buggy saltar de surpresa é mais divertido que vê-los cortar o deserto. Recentemente, a corrida se viu no meio de todo o tipo de disputas de gangues, com sequestros e tiroteios nos eventos.


Targa Florio

9 – Targa Florio

Número de mortes: desconhecido.

Acidente famoso: Giulio Masetti morreu ao volante de seu Delage 1926 na primeira curva da corrida. Seu carro usava o número 13 e desde então nenhum outro carro na Targa Florio usou esse número.

Onde está o perigo: em sua configuração mais recente, de 1951 a 1977, a Targa Florio consistia em dez voltas por um traçado de 72 km pelas montanhas Madonias na Sicília. Os competidores precisavam cruzar estradas de montanha, hairpins, cascalho e lama, além de espectadores e prédios rentes ao traçado. Sua fama se ampliou em 1974 ao ser considerada “muito perigosa” para ser disputada como parte do WRC.


Spa-Francorchamps

8 – Spa-Francorchamps

Mortes: 23 (pilotos).

Acidente famoso: na vigésima volta do grande prêmio da Bélgica em 1960, Chris Bristow tentava manter seu Cooper à frente da Ferrari de Willy Mairesse. Ele capotou seu carro na curva Burnenville, morrendo decapitado. Stirling Moss fraturou ambas as pernas e diversas costelas no mesmo local um dia antes.

Onde está o perigo: a curva Eau Rouge de Spa é uma das mais amadas do automobilismo, mas também é parte de uma das pistas mais perigosas. Construída originalmente em 1924, a pista atual pouco se parece com o traçado original. Desde sua inauguração, 23 pilotos lá perderam suas vidas.

Crédito da foto: Michael Cooper/Allsport.

Le Mans

7 – Le Mans

Mortes: 24 (pilotos).

Acidente famoso: Le Mans é o local do pior acidente automobilístico até hoje, ocorrido em 1955, matando entre 80 e 100 espectadores e ferindo outros 120, além do piloto Pierre Levegh. Como resultado, todas as formas de corridas foram banidas em vários países europeus até que as pistas ficassem mais seguras. Apesar da maioria dos países terem derrubado suas proibições, as corridas ainda estão banidas da Suíça (apesar de uma das câmaras do parlamento ter aprovado o fim da proibição).

Onde está o perigo: disputado desde 1923, as 24 Horas de Le Mans é um dos eventos automobilísticos mais glamourosos do mundo. O circuito tem uma reta de quase 6 km, na qual os carros atingiam velocidades de até 400 km/h – essa reta, a Mulsanne, foi dividida com duas chicanes a partir de 1990. Até hoje, o Circuit de La Sarthe foi o local da morte de 24 pilotos.

Crédito da foto: Ryan Pierse/Getty Images.

Daytona International Speedway

6 – Daytona International Speedway

Mortes: 28 (pilotos).

Acidente famoso: a morte de Dale Earnhardt na última volta das 500 milhas de Daytona em 2001 é uma das mais lendárias. Em busca de sua segunda vitória na prova, Earnhardt atingiu o muro a cerca de 250 km/h, morrendo na hora. O dia ficou conhecido como Domingo Negro pela imprensa esportiva, título que permanece até hoje.

Onde está o perigo: segundo o Orlando Sentinel, desde sua inauguração em 1959, 28 pilotos morreram no Daytona International Speedway. A inclinação da pista é de 31 graus nas curvas e 18 graus na reta principal.

Crédito da foto: Jamie Squire/Getty Images para a NASCAR.

Monza

5 – Monza

Mortes: 42.

Acidente famoso: o acidente fatal de Wolfgang Von Trips em 1961 em sua Ferrari 156 Sharknose pôs fim aos carros da F1 no setor do traçado oval da pista, e às esperanças de Von Trips vencer o mundial de pilotos, quando precisava apenas de um terceiro lugar em uma das duas provas finais.

Onde está o perigo: inaugurado em 1922, Monza é uma das pistas mais antigas desta lista. Em sua configuração original, além da parte oval, a pista se cruzava – com a parte inclinada do oval sobre um viaduto. Atualmente, algumas das velocidades mais altas da Fórmula 1 são atingidas em Monza.


Indianápolis

4 – Indianapolis Motor Speedway

Mortes: 42.

Onde está o perigo: Mike Conway por pouco não entrou na lista de fatalidades de Indianápolis, durante as 500 milhas deste ano. Desde sua construção em 1909, levou a vida de 42 competidores, a mais recente em 2003, com a morte de Tony Renna durante uma sessão de testes de pneus.

Crédito da foto: Martin Seppala/AP Photo.

3 – O rali Paris-Dakar

Mortes: 45.

Acidente famoso: Pascal Terry morreu no percurso de 2009 na Argentina após ficar sem combustível. Um erro de comunicação dos organizadores o confundiu com seu irmão, assim as buscas começaram três dias depois, quando já era tarde demais.

Onde está o perigo: disputado entre Paris e Dakar no Senegal desde 1979, o Rali Dakar põe pilotos e navegadores nos terrenos mais inóspitos do planeta. Desde o ano passado, o rali passou a ser organizado aqui na América do Sul por questões de segurança. No total, 45 competidores perderam a vida na prova, sem contar os espectadores.


Nürburgring

2 – Nürburgring Nordschleife

Mortes: 52.

Acidente famoso: em 1976 Niki Lauda quase morreu após um acidente no traçado com sua Ferrari, recebeu a extrema unção, mas voltou às pistas duas corridas depois, na Itália.

Onde está o perigo: chamada de “The Green Hell” (o inferno verde) por Sir Jackie Stewart, desde sua construção na década de 1920, o Nordschleife (o anel norte) levou a vida de 52 pilotos, o último deles Leo Lowenstein em abril desse ano, com um Aston Martin V8 Vantage.

Isle of Man TT - Snaefell Mountain Course

1 – Isle of Man TT
Mortes: 227.

Onde está o perigo um lugar onde motos alcançam os 290 km/h em estradinhas de pista simples, é até surpreendente que o número de mortes não seja maior em seus 103 anos de história. De longe, a campeã de nossa lista.

1 comentários:

Jotinha Blog disse...
15 de agosto de 2010 15:29

http://humortalha.com/2010/06/esse-e-maluco-e-suicida-ou-esta-muuuuito-bebado/

Real Time Web Analytics BlogBlogs.Com.Br