Qual carro é mais resistente a batidas? Novos ou Antigos.

Tenho certeza que em algum lugar você já escutou essa pergunta, Qual carro é mais resistente a batidas? Novos ou Antigos. Eu como amante de carros antigos sempre escuto em eventos e exposições, donos de relíquias comentando que seus carros são mais resistentes do que esses novinhos de lata mole e repletos de plásticos.
Como nem tudo é o que parece, decidi estudar um pouco os tipos de materiais e estrutura dos carros antigos para comparar com os de hoje em dia. Fiquei surpreso com o resultado.

Veja esse vídeo onde vou usar de base para explicar o ocorrido.



Como podemos ver os dois carros ficaram muito danificados mas o habitáculo do motorista do carro novo ficou intacto. O motorista do carro antigo teria perdido as pernas e o volante do carro teria destruído seu rosto.
Agora vou explicar o que acontece com os carros.
O carro antigo tem chapas e estruturas igualmente duras, chapas como capo, painel frontal, para lama, que são pesadas e não absorvem nada do impacto da batida. Consequentemente o painel frontal afundou levando o motor, caixa de direção e até o painel corta fogo (lata que fica entre o cofre do motor e painel do interior do veiculo) esmagando o motorista.
Os carros novos são projetados para ter a estrutura do monobloco ( esqueleto do carro) resistente, onde as demais chapas são mais flexíveis e leves. Os suportes do motor são feitos para se soltarem com o impacto evitando que o mesmo entre no habitáculo do motorista mas sim se desloque para baixo. A caixa de direção funciona como uma sanfona, encolhendo para que o volante não salte para cima do condutor.

Veja na imagem o que é o monobloco. O monobloco deve ter uma certa flexibilidade para absorver o impacto.
Sei que muitos ainda vai discordar dessa materia mas tive a infeliz experiência de bater meu querido VW Voyage 88 em um Astra 2003, meu Voyage foi o que sofreu os maiores danos estruturais. Espero ter esclarecido um pouco esse assunto e que cada um tire sua própria conclusão e opinião sobre o assunto.

Por: Vinicius de Araujo Bosqueiro

4 comentários:

Miojoz0rd disse...
10 de agosto de 2010 02:49

Esse é um resultado não tem como ser tomado como verdade absoluta, pois existiam carros antigos feitos de materiais super-rigidos, e/ou com uma dianteira bem "agressiva" que acabava protegendo o carro.
Porém ambos as opções não são algo "bom" para a realidade atual, um carro com um corpo muito rígido durante uma batida não ira absorver o impacto, fazendo com que o motorista acabe absorvendo e matando na hora, mesmo que o carro fique intacto.

E carros com uma dianteira "agressiva" apesar de protegerem muito bem o motorista são um perigo para os outros, pois geralmente acabavam matando a outra pessoa envolvida em um acidente e tornava os atropelamentos muito mais fatais.

romulo louro disse...
12 de agosto de 2010 21:28

uma vez,na rua, eu vi um ecosport vermelho ficar sem as rodas da frente por que bateu em um chevete que estava estacionado.e acreditem se quiser,o chevete de nada sofreu

Mariuzza disse...
5 de abril de 2012 12:41

Foi comprovado que o antigo estava sem motor. motivo pelo qual ele se amassou bem mais do que o esperado. Porém com certeza se fosse real a pessoa do carro moderno estaria viva, e do antigo não.

Luciano Andress Martini disse...
13 de junho de 2012 02:29

Amigo o carro do teste é um bom carro. Pega um Ford Ka, ou um UNO e refaz o teste para você ver o que acontece.

Real Time Web Analytics BlogBlogs.Com.Br